Artigos recentes:

Planejamento de Experimentos (DOE)

Descubra como o DOE pode ajudar a sua Empresa

O Planejamento de experimentos (DOE) ajuda a investigar os efeitos de variáveis de entrada (fatores) em variáveis de saída (resposta) ao mesmo tempo. Esses experimentos consistem em uma série de ensaios, ou testes, nos quais são feitas alterações deliberadas nas variáveis de entrada. A cada ensaio, são coletados dados. Use DOE para identificar as condições do processo e os componentes do produto que afetam a qualidade, e então determinar configurações de fatores que otimizem resultados. continuar lendo

Como Toyota e Honda vencem na crise?

As montadoras parecem não sentir a queda na venda de automóveis como suas concorrentes

Os períodos de crise fazem surgir os verdadeiros campeões. Nos momentos de expansão do mercado, muitos parecem surfar tranquilamente e se beneficiar. Porém, quando os consumidores fogem e se tornam mais críticos e seletivos, as coisas mudam muito. Parece ser o caso do mercado automotivo no Brasil nos primeiros três meses do ano. As vendas de automóveis e comerciais leves tiveram queda de mais de 17% neste primeiro trimestre, com relação ao mesmo período do ano passado. continuar lendo

Por que ser Green Belt?



Esta é uma pergunta com respostas que podem melhorar a carreira de muitos profissionais. Isso porque a metodologia Seis-Sigma é hoje a menina dos olhos nas indústrias mais desenvolvidas. As pessoas que lá atrás entenderam que melhorar processos era inevitável em um mundo cada vez mais competitivo e desenvolveram essas habilidades em cursos de Green Belt hoje estão em uma posição profissional de bastante destaque. continuar lendo

Green Belt ou Black Belt?

05 Motivos para você buscar a Certificação Seis Sigma

Na era do conhecimento a busca por capacitação e certificação torna-se uma sábia estratégia por dois motivos claros: 1 - Atua diretamente no ativo mais importante e estratégico que você pode possuir: Seu conhecimento. 2 - Atua diretamente no ativo mais importante e estratégico que Sua empresa pode possuir: Seu conhecimento. Sim, o conhecimento tornou-se o ativo mais importante de uma pessoa/organização. continuar lendo

Descubra por que ser Green Belt tem sido uma Vantagem no Mercado de Trabalho!



Sem dúvida, a metodologia Seis Sigma é hoje a “menina dos olhos” nas organizações mais desenvolvidas. Pessoas que no passado entenderam que melhorar processos era inevitável em um mundo cada vez mais competitivo e buscaram desenvolver essas habilidades em cursos de “Seis Sigma Green Belt”, hoje estão em uma posição de bastante destaque na carreira. continuar lendo

7 Cursos que todo estudante de Engenharia de Produção deveria fazer



Todos sabemos que a Engenharia de Produção abrange várias áreas, ou seja, um engenheiro de produção “pleno” precisa dominar várias ferramentas, técnicas e conhecimentos. Durante o curso por muitas vezes a carga teórica tem muito mais espaço que a prática, gerando a necessidade de os alunos procurarem complementar sua formação com cursos fora da universidade. Quais cursos um estudante de Engenharia de Produção poderia fazer? Hoje reuni aqui alguns cursos/ferramentas que podem ser feitos para dar aquele up! no currículo ou mesmo para consolidar e saber mais sobre a aplicação de conhecimentos que recebemos nas aulas. continuar lendo

7 conselhos de carreira que ninguém dá (mas que valem ouro)



O mundo do trabalho anda imprevisível. Cortes, reestruturações e demissões constantes deixam o mercado cada vez mais hostil e competitivo. Tudo sem previsão de melhora. Nesse contexto de crise, é natural sentir muitas dúvidas quanto ao próprio futuro profissional. Como se diferenciar de outros candidatos a um emprego? Quais critérios levar em conta para aceitar ou não uma proposta? Como ser feliz em ambientes de trabalho a cada dia mais tensos?  continuar lendo

Estratégica Seis Sigma

Em busca da competitividade Empresarial

Com o recente processo de globalização, o mercado tem ficado cada vez mais complexo e competitivo. O grande desafio encontrado pelas empresas no novo milênio não mais se resume a simples questão de como obter competitividade, mas sim de como mantê-la a longo prazo. O mercado está em constante mudança, e as adaptações são necessárias (PANDE et al., 2001).  continuar lendo

Como sair da crise?

As velhas e boas dicas do Dr. Deming

Todos aqueles que se interessaram pela Gestão da Qualidade a partir do seu boom nos anos 70 tem com o guru Dr. W.E. Deming, que juntamente com o mestre J.M. Juran, fizeram do Japão uma referência mundial em termos de Qualidade e Produtividade. Estamos nesta oportunidade republicando os famosos 14 pontos de Deming numa provocação aos nossos queridos empresários brasileiros. A pergunta que fazemos é a seguinte: Será que os ensinamentos de Deming da década de 50 ainda são válidos para nossas organizações em pleno final de 2015 e início de 2016? continuar lendo

LEAN THINKING

Glossário de Termos e Acrónimos

Glossário de Termos e Acrónimos continuar lendo

Yokoten

Copiar e melhorar as idéias kaizen

É um conceito de comportamento da vencedora Toyota, podemos interpretar como “Copiar e melhorar as idéias kaizen” esse trabalho podemos entãotrasferir por exemplo as interpretações do Lean Manufacturing pregado por alguns que se acham entendidos no assunto mas não são e difundem como "Expandir as Melhores Práticas", dizendo que não podemos resolver um problema em um produto ou processo e esperar que o mesmo ocorra em outro produto ou outro processo para então implementar a mesma solução e que devemos então como requerido no QSB praticar as Lições Aprendidas.  continuar lendo

Como fazer um Gráfico de Controle no Excel



Gráfico de Controle, Diagrama de Controle e Cartas de Controle são alguns dos nomes dados a essa ferramenta que auxilia o Controle Estatístico de Processo. Ela é uma das 7 ferramentas da qualidade e, na minha opinião, uma das mais fáceis de usar. continuar lendo

KPIs

12 Caracteristicas para um Bom Indicador de Desempenho

Fala-se muito sobre indicadores de Desempenho nas organizações e vários esforços são gerados para a construção de uma base de indicadores que demonstre claramente os resultados de uma organização. Neste artigo explicaremos alguns pontos que são necessários para bons resultados desta metodologia. continuar lendo

Andragogia

Como Treinar seus Colaboradores?

Qual é a principal diferença em treinar adultos e crianças? As crianças aprendem para o futuro. Adultos aprendem para o presente. Em outras palavras, quando se é criança, você está aprendendo todos os assuntos, porque “você vai precisar deles no futuro”. Mas os adultos não são motivados por isso. Eles já estão no futuro, eles tomaram decisões que na maioria dos casos determinaram onde eles estão para os próximos 10 ou 20 anos. continuar lendo

Técnicas de priorização de projetos



O processo de tomada de decisão no ambiente empresarial contemporâneo possui problemas com níveis elevados de complexidade, e a grande quantidade de variáveis e informações disponíveis dificulta o processo decisório. continuar lendo

Análise de Custo vs Benefício

Aprenda como usar na avaliação de projetos

A Análise Custo-Benefício é uma ferramenta de tomada de decisão para obter, sistematicamente, informações úteis sobre efeitos desejáveis e não desejáveis de projetos. Como o nome sugere, esta análise envolve adicionar os benefícios de uma ação e então compará-los com os custos associados à mesma. continuar lendo

Os 6 Chapéus do Pensamento



A técnica dos Seis Chapéus do Pensamento consiste na utilização de diferentes chapéus do pensamento. Para cada chapéu você foca em apenas um aspecto diferente do pensamento deixando os demais de lado até mudar de chapéu. Isso permite que você analise todas as perspectivas possíveis e não caia na cilada do pensamento de grupo ou group thinking. continuar lendo

Diagrama de Afinidades

Sistematizando as Pesquisas de Design

Na década de 1960, o antropólogo Japonês, Jiro Kawakita, ao se deparar com um problema semelhante ao nosso, pensou em um modo de organizar as ideias de forma que fosse possível reduzir as variáveis, agrupando-as por afinidade e dando assim um sentido que nosso cérebro fosse capaz de interpretar. Sua ideia simples, mas genial, gerou uma ferramenta conhecida como Diagrama de Afinidades, atualmente utilizada nos programas de qualidade das empresas e que emprestaremos aqui para nos auxiliar na interpretação das informações coletadas e dos insights que tivemos em nossas pesquisas de design. continuar lendo

Brainstorming

Principais técnicas:

O Brainstorming também conhecido como tempestade de ideias visa facilitar a produção de soluções originais e possui duas fases principais – a produção de ideias seguido da avaliação das ideias propostas. continuar lendo

DOE

Planejamento de experimentos

O Planejamento de experimentos (DOE) ajuda a investigar os efeitos de variáveis de entrada (fatores) em variáveis de saída (resposta) ao mesmo tempo. Esses experimentos consistem em uma série de ensaios, ou testes, nos quais são feitas alterações deliberadas nas variáveis de entrada. A cada ensaio, são coletados dados. Use DOE para identificar as condições do processo e os componentes do produto que afetam a qualidade, e então determinar configurações de fatores que otimizem resultados. continuar lendo

GD&T

Tolerâncias Geométricas

GD&T é a abreviação de "Geometric Dimensional and Tolerance" que, traduzido, significa "Dimensão Geométrica e Tolerância" ou mais corretamente "Dimensionamento Geométrico e Toleranciâmento" porque a GD&T não apenas identifica elementos geométricos no desenho da peça, mas também determina como isso deve ser feito. continuar lendo

Regressão

O que é análise de regressão?

Uma análise de regressão gera uma equação para descrever a relação estatística entre um ou mais preditores e a variável de resposta e para predizer novas observações. A regressão linear geralmente usa o método de estimativa de mínimos quadrados comum que deriva a equação minimizando a soma dos resíduos quadrados. continuar lendo

Correlação

Definição, conceito, significado, o que é Correlação

Em probabilidade e estatística, a correlação indica a força e a direção de uma relação linear e proporcionalidade entre as duas variáveis estatísticas. Quando um destes valores variam sistematicamente valores de homônimos dos outros dois quantitativas variáveis são correlacionadas: se temos duas correlação (A e B) variáveis para aumentar para valores de B e vice-versa, fazê-lo também. A correlação entre duas variáveis não implica, por si só, não há relação causal (ver cum hoc ergo propter hoc). continuar lendo

Mapeamento de Processo

Mapeamento de Processo é a mesma coisa que Fluxograma?

Em muitos projetos de escritório, ao terminar um mapa de processo vejo que algumas pessoas o chamam de ‘fluxograma’. Na verdade, o mapeamento de processo (ou Process Mapping) é diferente do fluxograma. Vamos entender melhor? continuar lendo

O que é ANOVA?

Introdução

A análise de variância (ANOVA) testa a hipótese de que as médias de duas ou mais populações são iguais. Análises ANOVA testam a importância de um ou mais fatores comparando as médias das variáveis de resposta em diferentes níveis dos fatores. A hipótese nula afirma que todas as médias das populações (médias dos níveis dos fatores) são iguais, enquanto a hipótese alternativa afirma que pelo menos uma é diferente. continuar lendo

O Que são Mapas Mentais?

Introdução

Desde a invenção da escritura temos registrado o produto dos nossos estudos a cerca do mundo observado, com o propósito de analisar situações, comunicar, solucionar problemas, expressar seu pensamento criativo, compartilhar seus achados, divulgar experiências ou nossas aprendizagens. continuar lendo

Variância e Desvio Padrão



Um aspecto importante no estudo descritivo de um conjunto de dados é o da determinação da variabilidade ou dispersão desses dados, relativamente à medida de localização do centro da amostra. continuar lendo

Teste de Hipóteses



Os testes de hipóteses encontram-se entre as ferramentas mais poderosas e perigosas na estatística. Eles nos permitem realizar afirmativas em relação a uma população e atribuir um grau de incerteza a essas afirmativas. Pegue um jornal e folheie todo ele; raro será o dia em que o jornal não contenha uma matéria apresentando um resultado estatístico, frequentemente descrito com um nível de significância.  continuar lendo

A metodologia 8D

O que é 8D?

8D ou 8 disciplinas é uma metodologia de solução de problemas para melhoria de um processo ou produto. Teve sua popularização na Ford nas décadas de 60 e 70. A 8D se tornou uma norma estruturada para solução de problemas dentro do ciclo de qualidade e em muitas indústrias. A metodologia é estruturada dentro de 8 disciplinas, enfatizando a sinergia de time de trabalho. O trabalho como um todo é melhor e mais inteligente. continuar lendo

MASP

Método de Análise e Solução de Problemas

Essa ferramenta consiste em 8 passos estruturados para analisar, planejar, executar, verificar, padronizar e documentar a solução de um problema. A norma ISO 9001 em seu requisito 8.5.2 Ações Corretivas utiliza uma abordagem muito parecida com a do MASP, por isso ele geralmente é utilizado em treinamentos sobre Ações Corretivas e Preventivas para a norma ISO 9001. continuar lendo

Diagrama de Espaguete



Este diagrama é uma ferramenta muito simples, utilizada com muita frequência nos conceitos de Lean Manufacturing, basicamente auxilia na definição de um layout industrial ou administrativo. Graficamente analisa a distância percorrida por um operador, sistema de alimentação das linhas de produção entre outras aplicações.  continuar lendo

Fluxograma

5 passos simples para desenhar um Fluxograma

Como desenhar um fluxograma parece um mistério para você? Na verdade um fluxograma tem o objetivo de tornar as coisas mais claras, demonstrar graficamente como funciona um processo. Além disso, você pode usar programas simples, disponíveis na maioria dos computadores, para fazer esses desenhos de fluxogramas. continuar lendo

Os 8 desperdícios da Produção

Como evitar?

Os desperdícios em empresas geram uma série de consequências ruins para os negócios, para o meio ambiente e para a sociedade como um todo. Quando se gastam recursos além do necessário para a produção de uma mercadoria ou para a prestação de um serviço, a competitividade e a saúde financeira da organização podem ficar prejudicadas. Além disso, conforme o tipo de recurso consumido em excesso, podem existir impactos negativos para a ecologia e, especificamente, para os stakeholders do negócio. continuar lendo

Trabalho Padronizado

Benefícios da sua implementação

O Trabalho Padronizado (TP) é uma ferramenta lean básica centrada no movimento e trabalho do operador e aplicada em situações de processos repetitivos, visando a eliminação de desperdícios. Trata de estabelecer procedimentos precisos para o trabalho de cada um dos operadores em um processo de produção. continuar lendo

TAKT TIME

Gestão da Rotina

Takt é uma palavra alemã que literalmente significa relógio. Assim Takt Time seria algo como “Tempo Relógio”, ou o “Tempo marcado no Relógio”. Na prática de Operações, Takt Time é usado como o indicador da “velocidade recomendada” para uma Operação. Fazendo uma analogia, assim como dirigimos em vias cuja velocidade permitida é 60 km/h, o takt é a “velocidade correta” para uma sistema de produção... continuar lendo

A3

Método para solução de problemas

É um processo de gerenciamento expresso por uma folha de papel de tamanho internacional 297 x 420 mm. Ele descreve o diálogo entre mentor e subordinado, e normalmente é utilizado para resolver algum problema.  continuar lendo

Kaizen

Descubra como a filosofia Kaizen pode ajudar sua gestão a reduzir custos e aumentar a produtividade

A palavra Kaizen tem origem japonesa e significa “melhoria contínua”, o que pode ser levado para o ambiente de trabalho, família e vida pessoal. Na indústria, tem o mesmo significa e se refere ao aprimoramento diário e constante, com o objetivo de aumentar a produtividade. O Kaisen quando aplicado na indústria também busca eliminar os processos desnecessários, bem como o desperdício de tempo, de matéria prima, etc. continuar lendo

Jidoka

Automatização com um toque humano

Jidoka é um termo japonês que no mundo do Lean Manufacturing significa: “automatização com um toque humano” ou ainda “automação com inteligência humana”. A aplicação do jidoka fornece às máquinas e operadores a capacidade de detectar quando uma condição anormal ocorreu de forma a interromper imediatamente o trabalho. continuar lendo

Células de Produção

O que é, Conceitos e Como Funciona?

A tecnologia de grupo é um conjunto de técnicas manufatureiras que tem como objetivo explorar as similaridades básicas de peças e de processos manufatureiros, a partir de sua classificação e codificação, ou seja: famílias podem ser classificadas por tamanho, forma, roteiros de fabricação, volume, etc; através de um sistema de codificação, onde cada parte recebe um código estruturado contendo as características físicas das peças. continuar lendo

ANDON

O que é, Conceitos e Como Funciona?

O Andon é uma forma de gestão à vista de ocorrências na linha de produção que podem ser apresentadas em forma de alerta sonoro ou representações visuais (quadros, sinalizadores). continuar lendo

KANBAN

O que é, Conceitos e Como Funciona?

O kanban é uma simbologia visual utilizada para registrar ações. A palavra kanban teve a sua origem no Japão, e pode ser traduzida como cartas em que você pode ver e tocar. Foi inventado pela Toyota, fazendo parte do famoso sistema Toyota de produção e está associado a sistemas puxados e ao conceito de entrega just-in-time de produtos. continuar lendo

Poka Yoke



A expressão Poka Yoke (que em português se pronuncia pocá-ioquê) surgiu no Japão e significa “à prova de erros”. A técnica Poka yoke consiste na aplicação de mecanismos que evitam erros e defeitos na produção e no desenvolvimento de atividades. continuar lendo

TPM – Manutenção Produtiva Total



Num mundo cada vez mais competitivo e que muda a cada segundo, as empresas necessitam cada vez mais de estar preparadas para responder rapidamente às mudanças do mercado e às (naturais) alterações efectuadas e exigidas pelos seus clientes. Longe vão os tempos em que na indústria encontrávamos grandes e longos lotes de produção. Por um lado os clientes procuravam encomendar grandes quantidades, não havia muita variedade de produtos e opções, e o planeamento das fábricas procurava o tradicional agrupar de ordens para “rentabilizar” e reduzir o impacto da perda do tempo dos setups. continuar lendo

SMED - Setup Rápido

Redução dos tempos de Setup – o método SMED

Num mundo cada vez mais competitivo e que muda a cada segundo, as empresas necessitam cada vez mais de estar preparadas para responder rapidamente às mudanças do mercado e às (naturais) alterações efectuadas e exigidas pelos seus clientes. Longe vão os tempos em que na indústria encontrávamos grandes e longos lotes de produção. Por um lado os clientes procuravam encomendar grandes quantidades, não havia muita variedade de produtos e opções, e o planeamento das fábricas procurava o tradicional agrupar de ordens para “rentabilizar” e reduzir o impacto da perda do tempo dos setups. continuar lendo

5S

Veja o que é e como aplicá-la:

As empresas vêm se deparando rapidamente com a equalização do nível tecnológico, resultado do desenvolvimento acelerado dos meios produtivos e do acesso facilitado a eles. Como forma de agregar valor aos produtos e apresentar um diferencial, as corporações tem voltado a atenção para a evolução nas relações humanas, buscando desenvolver a cultura empresarial adequada ao seu crescimento. O modelo de qualidade 5S pode ser o ponto de partida para esse processo. continuar lendo

VSM - Mapeamento do Fluxo de Valor

Veja o que é e como aplicá-la:

O Mapeamento do Fluxo de Valor é um método muito útil e tem sido um dos mais utilizados no universo de aplicações do lean thinking em empresas industriais e de serviços. continuar lendo

Lean Thinking

Veja o que é e como aplicá-la:

Você já ouviu falar sobre Lean Thinking? O termo, que pode ser traduzido como “mentalidade enxuta”, se refere a uma filosofia e estratégia de negócios que visa utilizar os recursos de maneira eficiente, oferecendo valor a custo mais baixo, mas sem descuidar a satisfação dos clientes. continuar lendo

TOC - Teoria das restrições



A capacidade máxima de um sistema é determinada pelo recurso restritivo ou ponto de estrangulamento (também conhecido como gargalo do sistema). Assim, as organizações constantemente se depararam com pontos de estrangulamento que limitam a eficiência global do sistema. Considera-se ponto de estrangulamento (gargalo) qualquer elemento que limite o sistema a atingir metas preestabelecidas. continuar lendo

QFD - Desdobramento da Função Qualidade



O Desdobramento de Função Qualidade ” QFD (Quality Function Deployment) ” surgiu na década de 70 no Japão, nos estaleiros da Mitsubishi, em Kobe, e começou a ser propagado no Ocidente no final da década de 80. Tem como objetivo garantir a qualidade dos produtos e serviços de acordo com os desejos dos consumidores. continuar lendo

Diagrama de Árvore



É uma ferramenta muito eficaz para isso, já que permite fazer o mapeamento detalhado dos caminhos a serem percorridos para alcançar o objetivo e assim definir uma estratégia de abordagem, ou dar uma visão da sua estrutura. Possibilita desdobrar o objetivo, repetidamente, até se chegar a ações executáveis. continuar lendo

Modelo de Kano



Quando estamos coletando requisitos, precisamos observar sob a perspectiva do cliente e dos usuários. Em geral, eles não são especialistas e, portanto, vão ter dificuldade em expressar suas necessidades.  continuar lendo

VOC - Voz do Cliente

Transformando Dados em Ações

Há muita discussão na indústria sobre como transformar dados de Voz do Ciente (Voice of Customer – VOC) em ações. Mas para atingir esse patamar, primeiro deve-se conhecer os tipos de dados disponíveis e acionáveis através de um programa estruturado de VOC. continuar lendo

SIPOC

Introdução

O SIPOC é um mapa de alto nível do processo relacionado ao problema tratado. O SIPOC relaciona o Fornecedor ao início do processo, e o Cliente ao final, ou saída, do processo. continuar lendo

PDCA

A Origem, Conceitos e Variantes dessa idéia de 70 anos

Emborao PDCA seja bastante utilizado e referenciado na literatura, é possível observar que ele é, ora chamado de conceito, ora de modelo, ora de método, ora de técnica. Mas o que seria ele de fato? continuar lendo

MSA - Análise do Sistema de Medição

Definição

O principal ponto para análise consiste em interpretarmos o sistema de medição como um processo. Desta forma, é importante ressaltarmos que não estamos avaliando simplesmente os equipamentos, mas o processo no qual utilizamos os equipamentos, o método e as pessoas para obtermos o resultado da medição. continuar lendo

FMEA - Análise de Modos de Falhas e Efeitos

Definição

FMEA (failure mode and effect analysis) é uma ferramenta usada para aumentar a confiabilidade de um certo produto durante a fase de projeto ou processo. A ferramenta consiste basicamente em sistematizar um grupo de atividades para detectar possíveis falhas e avaliar os efeitos das mesmas para o projeto/processo. continuar lendo

CEP - Controle Estatístico do Processo

Introdução

O Controle estatístico do processo (CEP) é uma ferramenta que tem por finalidade desenvolver e aplicar métodos estatísticos como parte de nossa estratégia para prevenção de defeitos, melhoria da qualidade de produtos e serviços e redução de custos. A seguir apresentamos alguns conceitos e definições importantes. continuar lendo

Seis Sigma

O que é e Como funciona?

O Seis Sigma ou Six Sigma (em inglês) pode ser definido como um conjunto de práticas desenvolvidas para maximizar o desempenho dos processos dentro da empresa, eliminando os seus defeitos e as não conformidades de acordo com as especificações de fábrica. continuar lendo